O projeto DTA

Douglas Bernardini: Um apaixonado pela sua profissão

Sou gestor de tecnologia e arquiteto de soluções corporativas, com foco software e infraestrutura. Ocupo o cargo de CTO em 3 consultorias de TI. Lidero direta e indiretamente mais de 50 pessoas.

Sou responsável por projetos nas área de computação em nuvem, direito digital, ‘cyber-segurança’, privacidade de dados e implantação de softwares. Minha especialidade é transformação digital.

Tecnologia é minha paixão. Adoro ensinar. Já ministrei aula de tecnologia para muita gente. De estudantes e recém formados até a pessoas na 3a idade.

Começando do zero: Minha história como principiante em tecnologia.

Sou um ex-microempresário que faliu. Fui obrigado a fechar minha empresa em 2004. Perdi tudo. Comecei do zero aos 34 anos. Meu patrimônio era apenas um notebook.

15 anos de persistência deram certo. Consegui reestruturar minha vida com tecnologia. Viajei o mundo trabalhando. Conheci diversos de países gerenciando projetos. Hoje tenho 50 anos e sem nenhum indício de aposentadoria. Recebo ofertas de trabalho todo mês.

Lição aprendida da crise: Conhecimento transforma.

Há dez anos, investi uma quantia elevada de dinheiro e tempo em um curso de especialização nos EUA. Foi o melhor decisão que tomei até hoje. Conhecimento tem retorno certo e imediato. Meus treinamentos continuam até hoje. Intensos como nunca. Frequentes como sempre.

Projeto Data Tech Academy: Foco em iniciantes em TI

Muitas pessoas que desejam iniciar na carreira de TI não sabem como começar. Muitos já me procuraram pedindo orientação: Por onde tenho que ir? Qual o caminho das pedras?. Quase sempre sem experiência anterior. Gente capaz, com vontade, e precisando de um norte.

Orientei vários. Em alguns casos, a estratégia deu muito certo. Amigos que prosperaram devido minhas dicas. Alguns deles até me ultrapassaram. Recebo até hoje agradecimentos.

Com o advento da COVID-19, estas consultas se acentuaram. Foram tantas que resolvi transformar as ‘ajudas pontuais’ em um serviço focado para principiantes. Um treinamento estruturado, específico para direcionar iniciantes na área.

Cursos on-line consistentes. Foco em resultados profissionais práticos.

Terei ao meu lado como instrutores somente profissionais que já atuam no ramo de TI. Executivos REAIS com currículo impecável, que ocupam cargos elevados em posições de destaque. Irão dedicar parte do seu tempo para doar seu conhecimento para iniciantes.

Não teremos “coachs profissionais”. “Especialistas motivacionais” com discurso único de “animar” e “alegrar” não serão aceitos como instrutores. Serão aceitos apenas profissionais que atuam em TI, e que possam compartilhar experiências.

Nossa proposta é 100% resultado. Entendemos que a pessoa que nos procura necessita de algo mais concreto e eficaz profissionalmente.

Preços mínimos para incentivar quem está no começo de carreira.

Nosso plano é oferecer ao aluno um preço bem competitivo. Praticaremos valores mínimos. A proposta é disseminar conhecimento consistente para muitas pessoas a um preço justo. Nossa meta será sempre nos adaptar a condição econômica do aluno.

Nossa politica será cobrar apenas o suficiente para ressarcir os custos de infraestrutura (servidores), licenciamentos, equipe de vendas, material de marketing e divulgação e demais despesas operacionais que incidem na oferta de cursos on-line.

O ramo de tecnologia está contratando como nunca. E aceitando pessoas sem experiência.

Está enganado quem pensa que a exigência para cargos de TI sempre é tecnicamente muito elevada. Muitas posições abertas atualmente exigem pouca, senão nenhuma experiência anterior do candidato.

A COVID-19 também elevou a MUITO a demanda de tecnologia. O ramo está aquecido como nunca. Os projetos de modernização tecnológica viraram prioridade.

Neste momento, pessoas sem nenhuma experiência ganham mais espaço em TI. Como os projetos são urgentes, e contratar especialistas demora, a estratégia consiste então em contratar iniciantes e treiná-los internamente. Formá-los os principiantes sob a luz dos processos tecnológicos internos já existentes.

O trabalho remoto veio para ficar: Como a empresa de TI enxerga a atual situação?

‘Colaborador remoto’ é o sonho de toda empresa atualmente, porque 100% do custo de escritório é assumido pelo trabalhador remoto!. Os altos valores pagos pela empresa para sustentar escritório como água, luz, limpeza, refeitório, estacionamento, manutenção, condomínio, aluguel, seguro simplesmente desaparecem.

Com o trabalho remoto evitam-se também os grandes deslocamentos do colaborador. O trânsito das grandes cidades, as recorrentes greves no transporte público, as horas improdutivas, o cansaço e irritação, o risco de assalto e demais constrangimentos simplesmente somem em contratos remotos.

Mais uma vantagem: Baixo investimento em infraestrutura. Mesa, cadeira, computador, conexão de dados, licenciamentos, são 100% por conta do colaborador. E a empresa usufrui destas facilidades somente quando existe demanda. Trata-se de uma demanda elástica.

Porque então várias pessoas não conseguem então uma vaga em TI remota?

A maioria dos candidatos cometem erros básicos no processo seletivo. Respondem a questionamentos preliminares de forma MUITO errada, que o desclassificam de forma instantânea.

Minha experiência em processos seletivos demonstra que mais de +80% das pessoas não passam da 1a fase de seleção por não possuírem o básico-elementar. Tratam-se de requerimentos de simples atendimento, onde o candidato se auto exclui.

Entendemos que estes erros são cometidos por puro desconhecimento do candidato.

Sem conhecer bem os requisitos (regras) básicos que nós gestores de TI determinamos em um processo seletivo, bons candidatos perdem excelentes oportunidades de trabalho remoto por inocência na hora de passar informações ao entrevistador inicial.

É possível então alguém sem experiência ser aprovado para uma vaga remota?

Sim. 100% possível. Estando minimamente preparado, e não cometendo erros grotescos, você não é reprovado. ‘Não ser reprovado’ significa ir para a lista final (‘final-list’) de candidatos a serem avaliados pelo gestor.

A combinação ‘muitas vagas e pouca gente qualificada’ leva nós gestores a quase sempre considerar a possibilidade de tentar aprovar todos os nomes da final-list.

Gestores de TI sofrem muita pressão. E precisam de gente imediatamente. Significa que eles desconsideram muitas deficiências técnicas pré-existentes do candidatos, pois sabem que devido aos prazos é impossível achar alguém que se encaixa perfeitamente.

Resumindo, basta não errar feio que você consegue a vaga!

A DTA consegue me ajudar neste processo?

Sim. Nosso plano é antecipar e preparar o candidato o mundo real.

Demonstrar ao aluno o que realmente acontece nos bastidores e retratar como é um processo seletivo de TI:

  • Identificação do candidato;
  • Os critérios preliminares de seleção;
  • As primeiras entrevistas com o RH (Hunter);
  • A entrevista final com o gestor.

Neste contexto teremos pacotes com cursos específicos, abordando aspectos técnicos e comportamentais, construídos de acordo com o cargo que o candidato pretende concorrer.

É então 100% garantido que o curso irá dar resultado?

Não podemos garantir o desempenho do candidato em um processo seletivo. Tampouco prever com exatidão os critérios de seleção de uma empresa. Aliás, qualquer promessa de “sucesso garantido” associado a um curso é uma falsa por definição.

E, preservando a transparência de nossas ações, todos os alunos da Data Tech Academy estão automaticamente desqualificados de qualquer processo seletivo de empresas coligadas a DTA, afastando assim qualquer vinculo, associação ou contratação coligada a desempenho do aluno deste curso.

Aconselhamos alunos que pretendem algum trabalhar em alguma empresa coligada a DTA que não se matriculem em nenhum curso ministrado pela DTA, pois iremos DESCONSIDERAR automaticamente a aplicação na vaga pretendida, evitando assim qualquer vício de contratação.